OASRN


» EDP GÁS DISTRIBUIÇÃO - ALTERAÇÕES NAS CONDIÇÕES TÉCNICAS DE LIGAÇÃO DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO À INSTALAÇÃO DO CLIENTE

A EDP Gás Distribuição, fruto da sua experiência e das soluções disponíveis no mercado, decidiu proceder a algumas alterações nas condições técnicas de ligação da rede de distribuição à instalação do cliente.

 

Entre esses aspectos está o ramal, a interligação do ramal com a válvula de corte geral e a própria válvula de corte geral.

 

1. Ramal

Relativamente ao assunto em referência, e no escrupuloso cumprimento da legislação vigente, nomeadamente o artigo 24.º da Portaria n.º 386/94, de 16 de Junho, alterado pela Portaria n.º 690/2001, a EDP Gás Distribuição, no âmbito da sua política de distribuição, a partir de 30 de Setembro de 2010 apenas utiliza redes de polietileno na sua rede de distribuição. Nestes termos, devem os projectos de instalações interiores, ser desenvolvidos de forma a respeitar escrupulosamente a Portaria n.º 361/98, alterada pela Portaria n.º 690/2001, bem como a garantir que as ligações à caixa de corte geral se possam concretizar através da utilização exclusiva de polietileno.

O ramal a construir em polietileno deve respeitar, na íntegra o estabelecido pela Portaria n.º 386/94, de 16 de Junho, alterado pela Portaria n.º 690/2001, o que implica que a ligação se possa realizar através da instalação da tubagem à profundidade mínima de 60 cm (medidos a partir da geratriz superior da tubagem), emergindo do solo apenas para garantir a ligação à caixa de corte geral. Na parte em que a tubagem emerge, deve ser garantido que esta está protegida por um forra, que garante protecção mecânica e permite a fácil substituição da tubagem em caso de necessidade.

As alterações relacionadas com este aspecto têm aplicação imediata.

 

2. Válvula de Corte Geral

Relativamente à válvula de corte geral, decidimos introduzir uma alteração, eliminando a purga integrada no corpo da própria válvula. Nestes termos os requisitos gerais a respeitar pela válvula, cuja especificação técnica é remetida em anexo, são:

 
a)        A válvula será do tipo de corte rápido, com dispositivo de fecho de esfera de aço e manobra de ¼ de volta, devendo ser adequada para uma pressão de serviço de 4 bar.

b)        A válvula de corte geral a edifícios colectivos, ou que recebam público, deverá possuir um dispositivo de encravamento automático na posição de fecho, sendo necessário uma chave adequada para a sua reabertura. Esta válvula é facilmente identificável pela cor vermelha do manípulo de manobra.

c)        Nos edifícios do tipo unifamiliar que não recebam público, a válvula não deverá possuir o dispositivo de encravamento automático, devendo no entanto ser permitido o bloqueio manual na posição de fecho, com recurso a uma chave adequada. Esta válvula evidencia-se pela cor amarela do manípulo de manobra.
d)        A fixação da válvula é efectuada através do acoplamento desta a uma base própria em plástico, sendo esta por sua vez, aparafusada à parede da caixa de corte geral.

e)        A válvula de corte geral, objecto desta especificação técnica, não deve possuir toma de pressão (purga) incorporada.

f)        A válvula possui terminais para ligações roscadas com junta esfero-cónica de ambos os lados, obrigando sempre a interpor um acessório de transição de forma a permitir a interligação ao ramal.

 

As alterações relacionadas com este aspecto têm aplicação a partir do próximo dia 1 de Dezembro de 2010 (inclusive).

 

3. Acessório de transição Ramal / válvula de corte geral

A interligação entre a válvula de corte geral e o ramal em Polietileno não deve ser directa. Entre a válvula e o ramal deve ser acoplado um acessório de transição com acoplamento fêmea esferocónico, de um lado e transição para aperto mecânico (adaptado ao diâmetro do tubo de PE do ramal de ligação ao edifício) do outro.

As alterações relacionadas com este aspecto têm aplicação a partir do próximo dia 2 de Novembro de 2010 (inclusive).

 

A EDP Gás Distribuição considera que desta forma está a contribuir para a segurança e operacionalidade das instalações, garantindo um incremento de satisfação nos diferentes intervenientes na área gás.

Ficha Técnica (PDF)


Este serviço de esclarecimentos destina-se, única e exclusivamente, a apoio dos membros da ordem dos arquitectos que tenham as suas obrigações associativas em dia.

A Ordem dos Arquitectos também garante a prestação de informação e esclarecimentos ao público em geral, contudo estes pedidos devem ser enviados por escrito, via postal ou fax dirigidos a:

Ordem dos Arquitectos
Secção Regional do Norte
RUA ÁLVARES CABRAL N.° 144
4050-040 PORTO
Tel. 222 074 250

Nome
 
Nº de Membro
 
Morada
 
Telefone
 
Email
 
Coloque aqui a sua questão