OASRN



 

AD AURA PER AUREUS
6 de Abril a 29 de Maio (adiado)



AD AURA PER AUREUS
Exposição de Lessa Manuel
6 de Abril a 29 de Maio de 2020
Adiado para data a anunciar
Sede da OASRN
Inauguração: 6 de Abril, 18h30



AD AURA PER AUREUS designa um conjunto de pinturas e objectos que têm como base técnica comum o uso da folha de ouro, fino ou de imitação. O seu valor cromático de não-tinta, a sua variabilidade reflectiva, mesmo a misteriosa e paradoxal ambiguidade perceptiva que provoca, entre reflexão e emissão de luz ‘própria’, justificam-lhe um valor simbólico único do inefável, desde a Antiguidade e, mais sistematicamente, na cultura medieval grego-bizantina e eslava, no ‘Primeiro Renascimento’ italiano, no Simbolismo, Arte Povera, em Yves Klein. Inicialmente pensada a exposição como apenas de pintura, a poderosa materialidade do ouro veio a convocar uma série de objects trouvés, que aguardavam comigo, havia anos, um novo ciclo de vida, em significante reciclagem.

Do ponto de vista temático, tudo parte de uma arqueologia espiritual própria para um encontro, pela Arte – essa mui antiga, humana e infinita maneira de ritualizar/actualizar o Mito – com o sagrado, a deficitária e inalienável dimensão, tão desvalorizada desde a Era Industrial / Modernidade, o que potenciou a actual profunda crise planetária. Paralelamente, há um certo ajuste com a História e uma referência a Joseph Beuys, pela sua acção na prática artística como liberdade e intervenção política e enquanto cura para a ‘doença social’.


Lessa Manuel
Lessa Manuel é o nome, enquanto pintor, de Manuel da Silva Lessa, nascido a 07.07.1948, em S. Mamede Infesta. Foi seu professor da primária António Cândido da Silva, pintor.
Exigências várias levaram-no à Arquitectura, onde sempre considerou os contextos pré-existentes como elo de ligação entre passado e futuro, havendo sempre um património como ponto de partida: urbanístico, arquitectónico, agrícola, paisagístico, histórico, arqueológico, etc. São exemplos: o Crematório do Porto; o edifício «Papelaria Reis», na rua das Flores, Porto; a «Casa da Lebre», em Infesta, Paredes de Coura, anteriormente uma casa de lavoura, do séc. XVIII.
Entre 2004 e 2006, frequentou o atelier do pintor Ricardo Leite, onde desenvolveu pintura figurativa do natural, nos domínios da natureza-morta (a que chama natureza-próxima), retrato e paisagem (estudo in situ e pintura no atelier), assim como o encounter com os mestres.
A partir de 2006, desenvolveu sozinho esse programa, onde os animais ganharam algum relevo, nomeadamente, o cavalo, de sua grande proximidade, desde criança.
Posteriormente, explorou alguns métodos da pintura antiga europeia, no atelier do pintor Daniel Africano.
Em Julho de 2010, fez a sua primeira mostra na Ordem dos Médicos, no Porto.
Em 2017/2018, realizou o curso ‘Arte e Infinitude’ de Bernardo Pinto de Almeida, no Museu de Serralves.
Desde 2019, começou a atribuir importância à fotografia, como fonte para a pintura, explorando também aí as potencialidades das folhas metálicas.
Em Janeiro de 2020, fez uma segunda mostra também na Ordem dos Médicos.
Vive e trabalha no Porto.




Imagem©DR





Prémio Fernando Távora - 15ª edição
Adiamento da viagem e conferência

Prémio Fernando Távora - 16ª edição
Candidaturas até 17 de Agosto 2020

Candidaturas abertas!
ARQ OUT | Mês da Arquitectura

6 de Abril a 29 de Maio (adiado)
AD AURA PER AUREUS

Prémio Fernando Távora
Margarida Quintã e Luís Ribeiro da Silva vencem a 15ª edição


Mapas de Arquitectura

co-edições OASRN

em trânsito
Ciclo de conferências

Pelouro da Cultura

Arquivo
Eventos realizados
Edições
Co-organizações
Apoios Institucionais


Vídeos online
Discursos (Re)visitados - Ciclo de Vídeo




Contactos:
Secção Regional Norte
Rua Álvares Cabral, 144
4050-040 PORTO
TEL. 222 074 251
cultura@oasrn.org