OASRN



Nuno Mateus, Castelo Branco,1961.
Doutoramento em Arquitectura, FAUTL, Lisboa, 2013.
“Master of Science in Architecture and Building Design”, Universidade de Columbia em Nova Iorque, 1987.
Fundação ARX Portugal Arquitectos, 1991.
Professor na FAUTL e UAL, Lisboa.
Director do Departamento Arquitectura UAL, 2004-07.
Professor Convidado na ESARQ-UIC, Barcelona e acompanhou teses de Projecto na ESAP, Porto.
Trabalhou com Peter Eisenman em Nova Iorque (1987-1991) e com Daniel Libeskind em Berlim (1991).


Marta Fernandes , (Braga, 1979) é arquitecta, estudou no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga (1985/1991) e na Escola Secundária Carlos Amarante (1991/1997). Licenciada em Arquitectura pela Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão em 2003, fez estágio para acesso à Ordem dos Arquitectos na Câmara Municipal de Braga – DMGURU em 2004, membro efectivo da Ordem dos Arquitectos desde 2005, exerceu a sua actividade como profissional liberal até 2008, ano em que fundou a própria empresa em sociedade com a Arquitecta Liliana João Pereira, doutoranda na Escola de Arquitectura da Universidade do Minho na área de Construção e Tecnologia desde 2011. É Vogal do Conselho Directivo da Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (triénio 2014/2016).

Tem obra construída no Porto, Guimarães, Anadia, Felgueiras, Viana do Castelo e Braga, sendo neste último que desenvolveu a maior parte do seu trabalho.


Victor Manuel Figueiredo Branco , nasceu em Barcelos em 11/04/1943. Licenciou-se em Direito na Universidade de Coimbra, exercendo a profissão de Advogado com escritórios sedeados nas cidades de Braga e Porto.



Alexandre Farto (Vhils), O artista urbano português Alexandre Farto (1987) tem interagido visualmente com o ambiente urbano sob o nome de Vhils desde os seus dias como grafiter no início de 2000.

Vhils cresceu no Seixal e foi profundamente influenciado pelas transformações provocadas pelo desenvolvimento urbano intensivo que o país conheceu entre 1980 e 1990. Aplicando os seus métodos originais de destruição criativa, Vhils escava nas camadas superficiais da nossa cultura material como um arqueólogo urbano contemporâneo, expondo o que está além da superficialidade das coisas.

Apresentado por todo o mundo, o seu trabalho tem sido descrito como brutal e complexo, mas imbuído de uma simplicidade que apela às emoções humanas. Uma reflexão permanente sobre a identidade, sobre a vida nas sociedades urbanas contemporâneas e nos seus ambientes saturados, explorando temas como a luta entre as aspirações do indivíduo e as exigências da vida quotidiana ou a erosão da singularidade cultural no contexto de um mundo globalizado e de uma realidade cada vez mais uniforme.

Experimentalista ávido, Vhils ele tem vindo a explorar uma pluralidade de meios e técnicas - da pintura stencil a paredes esculpidas, de explosões de pirotecnia para modelagem 3D, a partir da instalação para vídeos – o que lhe permitiu expandir os limites de expressão.

A sua abordagem única e as suas obras de arte têm sido amplamente elogiados pela crítica em todo o mundo.


Florindo Belo Marques, Arquitecto. Nascido em 1952 em Portalegre, com residência em Portugal em Coimbra e Lisboa. Licenciado em Arquitectura pela E.S.B.A.L. (1978), opção de Planeamento. Inscrito na Ordem dos Arquitectos em 1978 com o nº 1129.

Em 1975, enquanto estudante, funda com um grupo de colegas a Asso¬ciação de Estudan¬tes do Curso de Arquitectura, exercendo fun¬ções de diri¬gente associativo até 1977.

Em 1978, ingressa no GAT (Gabinete de Apoio Técnico) da Fi¬gueira da Foz e em 1979 integra o corpo técnico superior do GAT da Lousã. Em 1982 ingressa na Direc¬ção de Serviços Regional dos Monumentos do Centro em Coim¬bra, onde, até Abril de 1989, desempenhou as funções de Arquitecto Princi¬pal.

Desde 1979 vem igualmente exercendo actividade liberal.

Tem experiência no domínio do Planeamento Urbano, do Projecto de Edifícios (Habitação e Equipamento), Interiorismo e ainda na Recuperação, Restauro e Revitalização de Imóveis e Conjuntos Classificados.

Fez parte do C.M.S.P.A.P. - Conselho Municipal de Salvaguarda do Património Arquitectónico e Paisa-gístico da Câmara Municipal de Coimbra e de Grupos de Trabalho Interministeriais também dirigidos à problemática da Salvaguarda do Património Arquitectónico e Cultural.

Foi eleito Presidente do NARC – Núcleo de Arquitectos da Região de Coimbra, estrutura da Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos para os triénios 2002 – 2004, 2005 – 2007, 2008 – 2010 e 2011 – 2013.


 


Escolha a edição